Sobre

Ávida cheiradora de páginas de livros novos. Ariana, da cor de jambo e dos cabelos negros tal qual Iracema. Indiazinha. Tem na escrita uma fuga da mente. Quer aprender a pensar menos, imaginar mais. Sonha acordada. Gosta de travesseiros fofos, Fernando Pessoa, cheiro de roupa limpa e abraços sinceros. Aprendeu a tomar café na marra; guarda chiclete nos bolsos. Acha que chocolate adocica a vida. Canta no chuveiro aquelas músicas da rádio. Opina. Debate. Aprende.

Gosta de boa música brasileira; não entende a injustiça. Prefere a verdade à hipocrisia. Dorme do lado esquerdo da cama. Não é tão organizada. Flores? Girassóis. Já sonhou com a morte; já teve pesadelos com a vida. Tropeça em si; precisa alimentar o espírito com alegria. Chora com facilidade.

Tem no Mantra um refúgio para alguns pensamentos insanos e outros escapes de questão de gosto. Como a Lóri, tenta, todos os dias, ser. Vive na busca, na procura de si. E se ama, mesmo que não saiba…