12.12.2014  

{agora vai!} 5 pratos para quebrar em 2014

O Agora Vai! é uma tag pra ver se eu largo de bobeira e completo logo as coisas que eu quero pra minha vida. Ela existe desde julho 2012 e eu ainda não consegui nem terminar a lista que fiz lá, que repeti até esse ano 🙁

Aproveitei a postagem coletiva do Rotaroots, sobre as coisas que a gente quer deixar em 2014 e não levar pro novo ano, para atualizar o Agora Vai!, retirar as coisas que eu já não tenho mais interesse e adicionar aquelas que se adequam mais à minha vida agora.

AND THE OSCAR THE LOS PRATOS PARA QUEBRAR GOES TO…quebrar-pratos

5. Expectativas 

Sabe qual é, sou uma pessoa muito ansiosa. Não consigo fazer as coisas sem planejamento, sem saber como vai funcionar direitinho, sem ter precauções pra eu não morrer esperando. Meu mantra sempre foi procurar meu equilíbrio, criar menos expectativas (boas e ruins) e viver a vida do jeito que ela é e as pessoas como elas são. Tentar não sofrer por antecipação por imaginar coisas que nem sempre vão acontecer ou que se acontecerem, nunca serão do jeito que a gente pensou (nunca). Em 2015 eu quero aprender o lerigoooou lerigoooou, sacomé?

4. Bagunça

Minha meta é aprender a me organizar, a ser menos bagunceira. Claro que tem dias em que isso é impossibru, mas eu quero aprender a chegar em casa, colocar os sapatos no lugar, não pendurar as roupas na cadeira, não jogar as coisas em cima da minha mesa e a arrumar minha cama quando acordo. Sou só eu ou essas coisas parecem às vezes tão inúteis? 🙁 A gente só percebe que não são quando tudo vira o mais imenso caos e dae é uma bosta arrumar tudo.

Isso vale também pra bagunça interior. A gente vai deixando tudo bagunçado, sem clareza, aquela confusão de sentimentos por tanto tempo e nem sempre isso é bom pra seguir em frente. 2015 eu quero aprender a organizar o íntimo, a cabeça, colocar as emoções no lugar.

Bagunça, stay in 2014 prís!

3. Olha aqui kiridinha…

2014 foi um ano em que eu tomei as dores alheias e me estafei de trabalho pra/por gente que não merecia nem um pouco do que foi feito, principalmente nesse finalzinho. Esse prato eu quebro com gosto. 2015 vai ser um ano do “Olha aqui kiridinha… não sou tuas nega”, apenas chega de me doar demais para situações em que o retorno é somente stress e desgosto. Tô coletando amor e não úlceras, bjs

2. Preguiça

Eu achava que esse seria o meu maior prato a ser quebrado, mas fica em 2º lugar. 2014 foi um ano muito preguiçoso, sem muitas vontades. Acho que é por isso que sou bagunceira (externa e internamente), por falta de ânimo, às vezes até de ter ânimo. Quero quebrar esse prato e trazer o prato da perseverança em 2015, não só pra fazer o TCC, mas pra conseguir as coisas que eu quero pra minha vida e pro mundo.

1. Procrastinação

Irmã da preguiça. Esse ano eu procrastinei MUITO, muito mesmo. Demais da conta. Mas não me leve a mal, eu sou uma pessoa que só funciona trabalhando sob pressão. Me dê 50 serviços pra resolver em duas horas, mas não em 6 meses, kkk. Eu trabalho muito melhor assim, com tempo de execução curto, parece que a criatividade flui melhor. Não sei lidar com prazos longos, porque dá muito espaço pra preguiça chegar e tudo mais 🙁 Mas quero que o prato da perseverança me ajude a cuidar do prato da disciplina, que é a coisa que eu mais preciso ter no ano que vem.

Agora vai, tô confiante!

Os pratos tão quebrados e espero que não tenha super bonder em 2015 pra colá-los de volta, kkk. Quais são suas expectativas pra esse novo ano? Seus pratos são tão difíceis quanto os meus? (vaso ruim parece que não quebra afff)

A lista do Agora Vai! 2015, atualizada:

Deixar de ser onicófaga;
Decorar o quarto;
Me aperfeiçoar em Photoshop e HTML;
Dar mais chances à novas séries;
Concluir o TCC com louvor;
Viajar para um lugar diferente;
Doar livros;
Ler livros;
Cozinhar com frequência;
Perdoar um pouco todo dia;
Escrever poesias;
Dançar no forró;
Economizar dinheiro o quanto puder;
Ir ao clube E entrar na piscina;
Visitar um templo Seicho No Ie;
Insira a vontade aqui

__
Esse post faz parte da postagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros que fala o que dá na telha e é a favor da blogosfera old school.

02.01.2013  

Ano velho, boas lembranças!

A última semana de todo ano é sempre bem amável. Bons votos por todos os lados, desejos de felicidade aqui e acolá. Não reclamo, receber boas energias de quem você gosta é revigorante, faz a gente se sentir especial e pensar que o ano que está acabando não foi tão ruim, nem tão triste quanto o tanto de vezes que reclamamos nos dias que passaram.

2013 taí e eu desejei a quem eu gosto muitas boas coisas e espero desejar durante os 364 dias que este ano ainda tem para me oferecer.

Essa semana nos faz refletir sobre o que somos, o que queremos ser. Hoje é dia 2, já é 2013 e eu ainda estou pensando no que ganhei em 2012, nas conquistas que fiz, no que realizei, no que deixei de realizar. Fica aqui registrado meu ano velho e minhas boas lembranças.


O Agora vai! ficou tão de lado, mas consegui completar as seguintes tarefas:
  • Ler mais, bem mais – Li O Morro dos Ventos Uivantes e A Hora da Estrela. Comecei outros 3 livros e comprei Os Miseráveis para ler também. Um pequeno avanço, mas fico feliz de ter começado!

  • Diminuir a ansiedade escrevendo, no Mantra, convenientemente – A ansiedade ainda taí, mas consegui escrever mais. A inspiração para poesias e contos não veio, mas sobre bobagens eu ainda consigo falar, rs

  • Rever meus amigos com maior frequência – Tão bom rever pessoas que eu não via há anos! Esse é um ponto que, com toda certeza, manterei nesse ano que começou.

  • Não tem preguiça intelectual de assistir filmes mais densos – Continuo vendo comédias românticas de sessão da tarde, mas vi mais clássicos e estou gostando de passar minhas poucas horas livres com isso.

  • Ir ao Campo da Paz – Sim, saudades daquele lugar!
Viajei pouco, tirei menos fotos ainda mas 2012 foi um ano intenso. Tive grandes decepções, daquelas que ficam com a gente pro resto da vida; me fizeram crescer e amadurecer. Meu coração ainda tá pequeno, 2012 ainda está batendo à porta pra me mostrar esses tristezas, contudo eu já me decidi a guardar boas lembranças até das tristes velhas memórias.

Deixo aqui então os registros fotográficos de momentos que vivi em 2012. E que 2013 me dê a oportunidade de dar e receber amor!



Feliz 2013, feliz vida!



[Update 2014] Retirei os registros fotográficos por razões de que eram muitas fotos mesmo e era tudo muito pessoal.
31.07.2012  

Das novas metas

Hoje, o primeiro semestre de 2012 se encerra e com ele se vão várias das metas de ano que criei. Umas foram sucesso completo (como arrumar um emprego), outras um total fracasso (no próximo capítulo: saindo do sedentarismo).

Decidi, assim, rejuvenescer as minhas antigas metas e torná-las públicas para esse segundo semestre do ano. Das metas que se seguem, a que eu sempre quis fazer e tive medo é referente a esse espaço aqui, o Mantra. Sempre foi um lar para os meus poemas secretos e para os meus contos diversos, beirando a melancolia e a tristeza. Por isso, decidi, após uma noite nem-tão-bem-dormida, que eu posso evoluir sim essa casinha para o patamar que me convier melhor.

Meus desejos mudaram e, por conseguinte, minhas metas de ano. Um reflexo da metamorfose ambulante que todos, felizmente, somos. Assim, o Mantra vira não só uma casinha com um novo reboco, todo branquinho, para abrigar poemas e devaneios; mas também lar daquilo que me der na telha. Porque eu tinha medo de ele perder a elegância da poesia ao morar junto com as bobagens. No entanto, hoje eu acredito que no fundo, no fundo, tudo é bobo, até mesmo os textos elegantes.



E assim, minhas novas e bobas metas para o novo semestre são:
  • Ler mais, bem mais. Se possível 1 livro por mês;
  • Diminuir a ansiedade escrevendo – no Mantra, convenientemente;
  • Estabelecer uma rotina diária de embelezamento físico e espiritual;
  • Rever meus amigos com maior frequência;
  • Deixar de ser preguiçosa,  deixar de ser preguiçosa,  deixar de ser preguiçosa,  (o verso é repetido 49 vezes);
  • Entrar para uma academia;
  • Ficar na academia;
  • Escrever um jingle sobre algo bem bobo;
  • Saber mais sobre países africanos;
  • Ir ao clube E entrar na piscina;
  • Cortar o cabelo;
  • Baixar e assistir Sex and The City (pra ver qualéquié);
  • Não ter preguiça intelectual de assistir filmes mais densos;
  • Ir ao Campo da Paz;
  • Visitar um templo Seicho No Ie
  • Aprender a usar o Photoshop e o Adobe Illustrator, nem que seja o básico;
  • Insira alguma vontade aqui

Essa última fica aí, bem do jeito que eu gosto, porque uma lista aberta é um mar de possibilidades 🙂

A lista fica disponível nesse link aqui e será atualizada, ou não, hehe. Estou confiante, 75% da lista eu garanto conseguir, só acho que ficar na academia…

E bem, me despeço com essas vantagens. 
Daquelas que um dia comporão a minha lista.