07.08.2015  

Sobre como perdi meu tempo não assistindo Downton Abbey

Esse post é uma mistura de lamentação e felicidade.

São 23 anos de vida e mais ou menos uns 16 que eu assisto séries (desde quando elas passavam na televisão, Full House foi a primeira!). Desde que aprendi que a internet pode ser um mundo aberto para filmes, músicas, porcarias e entretenimento dos mais variados níveis, nunca mais sai dessa situação viciante que é assistir séries online. Só que eu provavelmente tenho algum problema em fazer várias coisas ao mesmo tempo, de modo que acompanhar muitas séries e ainda entender o que está acontecendo em cada uma delas não é uma coisa que eu sou boa em fazer. Minha irmã acompanha umas 12 séries (ou mais) e eu, umas 5.

Já terminei algumas séries, outras desisti na metade, mas dentre essas cinco, atualmente, estão: Once Upon a Time, Game of Thrones, How To Get Away With Murder, Sense8 e…… Downton Abbey.

Minha vida antes dessas séries era vazia e sem sentido. Eu vagava em busca de um entretenimento saudável, extasiante, daqueles que a gente se apega e para no meio com medo de continuar e acabar. Daqueles que você vai com cautela porque sabe que em cada episódio a paulada no coração é ingrata mas você continua gamada porque os roteiristas sabem pegar você de jeito.

Eu tenho um amor muito grande por filmes de época, por coisas de época, por música de época, por qualquer coisa que me lembre algo do passado (mais precisamente a partir da Era Vitoriana). Nem sei como minha vida existia antes do Netflix, mas esse site veio salvar a minha vida quando disponibilizou 3 temporadas de Downton Abbey pra que euzinha pudesse assistir e acabar com o meu vazio existencial.

A sinopse:

No início do século XX, a família Crawley luta para manter o legado de Downton Abbey. Após a morte de um parente que estava à bordo do Titanic, Robert Crawley (Hugh Bonneville) descobre que o novo herdeiro da propriedade é um sobrinho distante, Matthew Crawley (Dan Stevens), um advogado com pensamentos modernistas. Enquanto Robert e sua esposa Cora (Elizabeth McGovern) se preocupam com o futuro das suas filhas, Mary (Michelle Dockery), Edith (Laura Carmichael) e Sybil (Jessica Brown Findlay), os empregados da mansão trabalham para manter a rotina da família, com todas as regras da época.

Quando assisti Sense8 pela primeira vez, numa sentada me apeguei aos personagens e fiquei imaginando como seria minha vida interligada a outras pessoas no mundo (vocês também fazem isso?). Em Downton Abbey minha vida ficou completa. Todo o meu tempo gasto não assistindo essa série foi perdido, não sei como sobrevivi sabendo que ela existia no Netflix e eu renegava pra assistir A Usurpadora (sim). Ganhadora de 3 Globos de Ouro e 158 nomeações, sem mais delongas, Downton Abbey é:

mast-da3-iconPoder imaginar como seria sua vida se você fosse da nobreza

Uma nobreza bem simpática, eu diria. Downton Abbey é uma série sobre uma família rica e seus criados, passando por várias histórias dos diversos personagens. A nobreza se mistura com a gentalha e você vê que o dinheiro nem sempre é a garantia de que as pessoas serão filhas da puta (algumas são). Você sonha sobre como seria morar numa casa com 12817 quartos, ter uma dama de companhia pra te vestir, fazer seus penteados dignos de salão e ainda em ir a bailes com aquelas roupas absolutamente maravilhosas.

downton-abbey-telephonePresenciar a chegada da tecnologia e o quanto o ser humano pode ser mais ou menos resistente a ela

Imagine-se numa época de transição no mundo, em que a produção científica está a vapor e você finalmente pode ter luz elétrica (coisa do diabo!), telefone (Lady Grantham sabe mais que eu), gramofone, torradeira, carros e outras coisas. Downton Abbey vivencia em cada capítulo a chegada da modernidade (começamos em 1912) e você acompanha junto com os personagens como às vezes pode ser penosa a adaptação à tecnologia. E vai rir com eles, é claro.

downton-abbey-sybilVibrar quando um pensamento modernista dá na cara do conservadorismo da época

Downton Abbey é uma série de mudanças. Você vê que os personagens gradativamente vão mudando seus pensamentos e se modernizando. A moda e as situações a que eles são expostos ajudam a transmitir como o mundo muda muito rápido e que você vai ficando cada vez mais obsoleto. Os direitos da mulher vão ficando cada vez mais evidentes e você vai assistindo só pelo prazer da desconstrução dos paradigmas. Passo muitas cenas gritando “YO GO GIRL!” ou aplaudindo alguns comentários BASTANTE pertinentes e que sambam na cara do conservadorismo do começo do século XX. Melhor impossível.

Downton Abbey Christmas Special - Thomas (Rob James-Coller) and O'Brien (Siobhan Finneran) © 2011 Carnival Films, Photo by Giles Keyte

mestres da vilania fazendo workshop com o tinhoso | Photo by Giles Keyte

Se afligir com as intrigas e fofocas

Gossip Girl não é nada (nada mesmo) perto de Downton Abbey. Primeiro porque Downton Abbey tem o requinte das intrigas da nobreza e você torce por todos os personagens mesmo que não goste muito deles (vide Sr. Barrow e Srta. O’Brien). Cada capítulo é mais uma fofoca, uma dificuldade, uma passada de perna, um balacobaco pra deixar você com o coração na mão e se agarrar na esperança de que nos próximos capítulos tudo vai ser resolvido e todo mundo vai ficar bem no final. A partir da 3ª temporada os roteiristas dão uma de George R.R. Martin e tudo vai ficando mais nebuloso e TRISTE. Como disse Marina Smith, “Fazem você se abrir e se importar, aí pegam seus sentimentos, dançam lambada em cima deles e depois tacam fogo. MALDITOS”. Você quer mandar todo mundo se foder porque NÃO É POSSÍVEL que eles façam isso com os nossos coraçõezinhos. Não é possível.

downton-abbey-staffTorcer para que tudo dê certo no final

Mas não sei se vai dar, porque ainda não cheguei no final. Como disse,  estou protelando o máximo que posso para que a série não acabe. São 5 temporadas de pura emoção, troca de criados, intrigas, problemas, fofocas e uma pitada de humor que faz com que você deseje que na 6ª temporada tudo acabe água com açúcar num final feliz. É pedir muito?


Se você está aí perdendo tempo como eu perdi (não perca!), você pode ver 3 temporadas no Netflix e ver as outras duas lançadas no MegafilmesHd, que é onde eu assisto minhas séries online :). A sexta e última temporada será lançada em setembro, não aguento mais esperar!

Sua vida vai, gradativamente, se apegar a essa nobreza que eu já conheço e considero pacas e vai ser tomada por saudades quando a série acabar, viu? Boa sorte!