Canção de ninar

O que te prendes ao mundo?
Ouviste o sussurro do dia?
Os doces e hábeis burburinhos da vida te passam,
pequena

“Seja como a areia,
onde a onda vem bater”
a ti a velha árvore dizia
trespassada, adivinha
Pequena, as joias estão aí

o doce olhar inevitável,
tátil como a mão que aperta,
sufoca
voa o teu vôo livre
seja, pequena, seja

o sonho vai escalando estrelas
e os olhos cerram-se para a dor
enfrentam as fadas, pequena
e o sussurro vem,
sempre vem.

Cantam duas, três vezes
para te ver repousar sofrendo
amargurada pelo dia que é finito
Durma, pequena, durma
Na efemeridade o infinito é teu lar

Irá chegar, as asas nascerão
Ouves o vento?
O que diz ele, pequena?
São areia e onda, batendo
bloqueando nuvens

Ouvem o teu ninar,
Bebem de teus sonhos e,
Beijam-te os seios
e visitam seu leito sussurrando
gemendo

“seja como a areia,
onde a onda vem bater…”
Não entendes, pequena
Apenas seja em seu repousar
e então, as joias lhe tocarão os dedos.

6 respostas para “Canção de ninar”

  1. Anonymous disse:

    bonitos versos!

  2. Anonymous disse:

    e essa mulher coçando a xereca?
    ta anonimo.. mas vc sabe quem eh! MuahAHAhaHaahaHhA

  3. Anonymous disse:

    Ela não está coçando a xereca. Ela está se masturbando. E vc ?? O que está fazendo ??

  4. Que foto é essa do perfil, com um olhar… ainda não decifrado?

  5. Anonymous disse:

    Gredjenha

  6. Jimmy disse:

    Where are the Mantra on this?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *